quarta-feira, 29 de julho de 2009

Apenas 2 dias depois A GALP VOLTA AUMENTAR O PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS!

É mesmo verdade, depois de há dois dias a galp ter subido o preço dos combustíveis, voltou hoje à meia-noite a subi-los outra vez. A Gasolina e o Gasóleo aumentaram ambos o seu preço por litro em 1 cêntimo, custando agora respectivamente 1,299€ e 1,049€.

Numa altura em que os portugueses partem para férias, e aumentam por isso o consumo de combustíveis devido as viagens de longa distancia, nada melhor do que aumentar os combustíveis para reequilibrar os lucros escabrosos que a Galp sempre obtém com o assalto diário aos consumidores portugueses.

Gostava de saber onde é que ficou a “queda acentuada nas gasolinas e nos gasóleos que naturalmente serão repercutida ao consumidor final” tanto anunciada por Ferreira de Oliveira, Presidente Executivo da Galp Energia.


Curiosamente o petróleo cai nos mercados internacionais há duas sessões consecutivas.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

A Galp Voltou hoje a aumentar o Preço dos Combustíveis!

A Galp voltou hoje à meia-noite a aumentar os preços dos combustíveis. A gasolina subiu 1 cêntimo para 1,289€ por litro, e o gasóleo custa mais 2 cêntimos por litro passando para 1,039€ por litro. O preço do petróleo nos mercados internacionais começou a subir semana e meia depois de ter descido durante duas semanas e meia. As descidas nos preços da Galp foram lentas e poucas em número e em valor. Assim que o petróleo sobe é a conversa de sempre. O consumidor é que paga e logo!

Depois não me venham dizer que a Galp tem perdido dinheiro com o timelang! Tem, pelo contrario, ganho dinheiro e muito! Dinheiro esse que é extorquido a todos nós!
Acabem com o Gamanço!

sábado, 25 de julho de 2009

DECO alerta para fraca concorrência nos combustíveis

Do site do Diário Económico, por Pedro Duarte.

"A DECO chama a atenção para o facto das diferenças entre os preços praticados nos postos de abastecimento das petrolíferas serem mínimas, reduzindo as escolhas dos condutores.

A Associação de Defesa dos Consumidores (DECO) controlou 18 painéis indicativos dos preços dos combustíveis em duas vias nacionais (a A1 e a A8) para verificar o seu funcionamento em relação aos preços da gasolina 95 e do gasóleo, ao mesmo tempo que comparavam a informação com a do site da Direcção-Geral de Energia e Geologia.

Assim, na A1 a DECO notou que, em 4 dos 12 painéis existentes, “faltava informação sobre um dos postos” de gasolina, sendoesta uma falha “a corrigir”.

Já a diferença do custo entre as diferentes petrolíferas “era mínima ou inexistente”, nota a DECO, precisando que na A1 “olitro de gasóleo na BP e Repsol custava 0,998 euros, contra 0,999 euros na Galp. Já o litro da gasolina 95 custava 1,298 euros na BP e 1,299 euros na Galp e Repsol. Quem abastecesse 50 litros pouparia apenas 5 cêntimos ao optar pelo preço mais baixo”, sublinha.

Já na A8, dois dos seis painéis existentes não funcionavam completamente, estando os painéis de pré-sinalização tapados e com o aviso “brevemente informação sobre preços”.

Em relação aos preços praticados na A8, tanto a Galp como a BP e a Repsol praticavam os mesmos preços que na A1, com uma diferença máxima de 0,001 euros por litro. Já na Cepsa havia alguma poupança, mas “pouco significativa”, nota a DECO.

“Na gasolina 95, podia ir até 0,01 euros por litro: entre 1,289 euros da Cepsa, na área de serviço de Óbidos, e 1,299 euros da Galp e Repsol, em Torres Vedras e Loures. Quem abastecesse o depósito com 50 litros na Cepsa poupava 50 cêntimos”, precisa a associação.

Já a informação no sítio da Direcção-Geral de Energia e Geologia encontrava-se desactualizada para os postos da BP, em ambos os sentidos, na área da Nazaré, com data de 18 de Abril. Na gasolina 95, o sítio indicava 1,229 euros por litro, quando o preço correcto era 1,298 euros. No gasóleo, figurava 0,999 euros contra 0,998 euros nos painéis. A falha é da BP, responsável por actualizar os preços.

“Até 9 de Junho, a situação mantinha-se”, lamenta a DECO.

Fraca concorrência

No mesmo dia, precisa a DECO, a associação comparou os preços da gasolina 95 e do gasóleo nos 116 postos presentes no site da Direcção-Geral de Energia e Geologia.

“Na Galp, Cepsa e Repsol não havia diferenças, independentemente do posto ou via. Só a BP variava o preço conforme a auto-estrada e, na A25, entre postos. A5, A7, A9, A11, A12, A13, A15, A17 e A21 sem diferenças no preço da gasolina 95 e gasóleo. Na A4, apenas registámos variação para o gasóleo e, na A29, para a gasolina 95. Nas restantes, a poupança era mínima: 0,50 euros se abastecesse 50 litros de gasolina 95 (A2, A3, A6, A8, A22, A23 e A28) ou apenas 0,05 euros (A1). Para a mesma quantidade de gasóleo, a poupança máxima oscilava entre 5 e 20 cêntimos”, nota a DECO.

Para a associação, este cenário “confirma as ineficiências no sector, agravadas nas auto-estradas, onde a concorrência não tem expressão real sobre o preço. A diferença entre postos é mínima ou inexistente. Fica mesmo mais barato fora das auto-estradas: na semana de 25 de Maio a 1 de Junho, o preço médio da gasolina 95 no País rondava 1,263 euros por litro e, o do gasóleo, 0,965 euros. Quando possível, ateste o depósito antes de entrar”.


Regulação e Nacionalização JÁ!

Acabem com o Gamanço!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Galp Portugal pensa que os clientes são estúpidos

Encontrado algures na net, vale a pena ler aqui.

São mais campanhas mentirosas da Galp postas a nu. Sobre a nova campanha do "Carbono Zero", que basicamente é a mesma coisa que uma farmacêutica vender falsos medicamentos milagrosos que não curam um vírus que foi a a própria empresa que criou e disseminou. É o mundo a que chegamos. Já não basta vender banha da cobra, vende se a doença que a banha alegadamente cura.

A Galp e os golpes

Retirado d'aqui.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Mais uma notícia de baixa dos preços que é MENTIRA!

Do Site da Agencia Financeira

"Galp: gasóleo mais barato
Valor da gasolina ficou inalterado

Os preços dos combustíveis continuam a manter a tendência de queda. Esta madrugada, foi a vez da Galp baixar o preço do gasóleo, disse fonte da petrolífera à Agência Financeira.

Desde as 00h desta segunda-feira, o gasóleo custa menos 1 cêntimo e tem um preço de referência de 0,894 euros por litro. Já a gasolina sem chumbo 95, o valor de referência mantém-se inalterado nos 1,154 euros por litro.

Recorde-se que a última vez que a Galp mexeu nos preços foi na passada quarta-feira, quando baixou os preços de ambos os combustíveis.

Também na semana passada, a BP mexeu nos seus valores. O gasóleo ficou nos cêntimos 1,049 euros e a gasolina sem chumbo 95 nos 1,315 euros por litro.

Ainda na Cepsa, o preço do gasóleo recuou para os 1,041 euros. A gasolina custa 1,295 euros."

Esta notícia é OBJECTIVAMENTE MENTIRA! A agência financeira à qual a fonte da Galp disse que baixou os preços deve ser paga pela Galp para não confirmar estas declarações MENTIROSAS!

Se não vejamos: numa consulta rápida ao site da Direcção Geral de Energia e Geologia onde estão expostos os preços dos combustíveis de todos os postos do país (http://www.precoscombustiveis.dgge.pt/) reparamos que por exemplo no concelho de Lisboa apenas dois postos de combustível dos VINTE DE DOIS que a galp energia tem na capital baixaram efectivamente os preços!
Alem disso vemos também que o “valor de referência” da gasolina tem uma diferença para a realidade de MAIS de 11 cêntimos! No Gasóleo a diferença chega aos 13 cêntimos a mais!!

É um escândalo que órgãos de comunicação social como esta agencia financeira cuja seriedade do jornalismo e da informação que produz está ao nível de qualquer revista de imprensa cor-de-rosa tipo caras ou Maria mais atrevida, continue a difundir alegremente este tipo de noticias que só prejudicam o consumidor, e protegem quem diariamente quem o assalta!

Mais escandaloso ainda é que os jornalistas da TVI24, que ao que parece pretende ser uma referência da informação em Portugal (Risos!), difunda este tipo de notícia completamente mentirosa sem o mínimo de trabalho para a confirmar.
A estes senhores recomendo vivamente a ler a Carta Aberta aos Órgãos de Comunicação Social Portugueses e seus responsáveis publicada neste Blog e enviada a todos os órgãos de comunicação social de referencia do nosso pais.

domingo, 19 de julho de 2009

Venda da Galp a Angolanos


Manuel Monteiro quer explicações do governo sobre eventuais negociações para venda de capital português na GALP
do site da
RTP


O ex-líder do CDS-PP e da Nova Democracia, Manuel Monteiro, afirma estar em curso negociações co sentido de vender o capital português na Galp para mãos de accionistas angolanos. Manuel Monteiro pede ao governo que explique, antes das eleições deste ano, o que realmente se passa nestas negociações. À ANTENA 1, Manuel Monteiro afirmou que está em questão a independência do país, precisamente numa altura em que se fala de capital angolano noutros sectores do país.

sábado, 18 de julho de 2009

Ladrão que rouba a Ladrão, tem cem anos de Perdão!

Galp só recebeu um terço do petróleo prometido por Chávez
Do site do Diário Económico, por Filipe Alves.

"Governo fez um acordo com a Venezuela para trocar petróleo por produtos nacionais, mas parte dos projectos está parada.

A Galp Energia comprou três milhões de barris de petróleo à Venezuela, desde a assinatura dos acordos entre os dois governos, em Maio de 2008. Este valor representa menos de um terço da quantidade de petróleo que o regime de Hugo Chávez prometeu fornecer a Portugal, uma diferença que se explica pelo congelamento de grande parte dos contratos para troca de crude por produtos portugueses.

"Entre Maio de 2008 a Maio de 2009 adquirimos três milhões de barris de petróleo bruto à Venezuela. Dois milhões foram adquiridos ainda em 2008 e um milhão já em 2009", disse ao Diário Económico fonte oficial da petrolífera liderada por Ferreira de Oliveira."

terça-feira, 14 de julho de 2009

Galp é a única petrolífera que não baixa o preço, apesar de ter sido a única a anunciar descidas nos preços!

A BP e a Repsol baixaram hoje os preços dos combustíveis, já a Galp, cujo presidente anunciou há exactamente uma semana descidas nos preços continua a manter os preços inalterados, mesmo tendo o petróleo descido mais de 13 dólares nos mercados internacionais, nas últimas duas semanas. A Gasolina e o Gasóleo nos postos de abastecimento da Galp continuam sem descer único cêntimo! Este já longo atraso constitui mais um inaceitável assalto ao bolso dos consumidores portugueses!!

Curiosamente o site do Diário Económico chegou a anunciar que a Galp também teria baixado os preços. Em boa hora se apercebeu que a mentira era deslavada demais e que mais valia emendar a mão.

Acabem com o Gamanço!

GALP investigada pela autoridade da concorrência espanhola

Do Pubico.

"A GALP está sob investigação da autoridade da concorrência espanhola por causa de uma queixa apresentada em 2006 por estações de serviço em Espanha, anunciou hoje a Comissão Nacional da Concorrência.

De acordo com um comunicado divulgado hoje pelo regulador espanhol (Comisión Nacional de la Competencia, CNC), a queixa foi apresentada em Maio de 2006 pela Confederação Espanhola de Estações de Serviço (CEEES) contra a Galp Energia España, S.A, "por duração indevida e antiregulamentar dos acordos de não-concorrência subscritos contratualmente com várias estações de serviço".

O objectivo da investigação agora iniciada e que cuja instrução deverá estar concluída em 18 meses, é entender "se os acordos de não concorrência [subscritos pelas estações de serviço] violam o artigo 1 da Lei 15/2007, de 3 de Julho, de Defesa da Concorrência, e o artigo 81 do Tratado da Comunidade Europeia".

O regulador espanhol assinala igualmente que, desde que a queixa foi apresentada, ocorreram diversas alterações no mercado, nomeadamente as sucessivas operações de concentração empresarial realizadas pela GALP em 2007 e 2008, que poderiam alterar a base do processo.

A CNC recorda que, desde 2007, vários meios de comunicação, bem como a própria página web da GALP, aludiram à possível compra por parte da GALP da rede de estações de serviço da AGIP em Espanha, operação que foi notificada à Comissão Europeia em Abril de 2008 e posteriormente retirada.

Em Agosto do mesmo ano, a Comissão Europeia voltou a ser notificada da operação, à qual deu luz verde em Setembro de 2008. "Imediatamente depois, a 12 de Setembro, a GALP anunciou uma nova concentração empresarial: a aquisição das filiais ibéricas da Exxon Mobil Corporation, entre as quais se encontrava a Esso Española"."

Em Portugal a regulação é o que se sabe, vamos lá ver se os nuestros hermanos nos dão uma lição de como funciona a justiça, ou se, se deixam comprar pela máfia como cá...

Pelo menos ficámos a saber por estes indícios de cartelização, que a politica da galp é universal, Rouba onde quer que esteja!

Ficamos na expectativa.

Como poupar nos combustíveis

Do Destak, por João Moniz


"Na passada terça-feira, o presidente executivo da Galp anunciou uma «descida acentuada» dos combustíveis a curto prazo, uma vez que o crude estava a ser negociado em baixa nos mercados internacionais.

Como essa tendência não se verificou até sexta-feira passada - nesse dia o preço médio da gasolina 95 em Portugal era de 1,279 euros contra os 1,290 da terça-feira anterior - podem os portugueses esperar uma quebra nos preços para esta semana? E qual o dia em que pagarão menos para abastecer o carro?

De acordo com o economista Eugénio Rosa, é quase impossível responder a esta questão. Embora os preços em Portugal sejam estabelecidos consoante os valores do mercado de Roterdão do mês anterior, «as petrolíferas não o seguem à letra».

«Quando os combustíveis sobem em Roterdão, as petrolíferas vão logo atrás, mas quando descem esperam algumas semanas, o que lhes dá um lucro adicional», explica o especialista.

Eugénio Rosa suporta a sua crítica com os dados da Direcção-Geral de Energia e Geologia (DGEG). Em Dezembro de 2008, o preço médio da gasolina 95 em Portugal antes dos impostos (ou seja, o que as petrolíferas recebem) era 3,4% superior à média da UE, mas em Abril deste ano a diferença já era de 6,4%.

Medidas falhadas

Para melhorar a informação sobre a concorrência nos combustíveis, que muitos dizem não existir, o actual Governo tomou duas medidas: a instalação de placards nas auto-estradas com os preços das três estações de serviço seguintes; e a criação de um site onde constam os preços praticados por todos os postos com vendas anuais superiores a 500 metros cúbicos. Mas quer uma quer outra têm poucos resultados práticos.

No último sábado de Junho, o Destak percorreu largas dezenas de quilómetros na A1 e na A8 e constatou que, segundo os placards, em oito possíveis, sete estações de serviço tinham os mesmos preços. Apenas uma tinha um preçário distinto, embora a diferença não fosse além de 1 cêntimo na gasolina 95 e 1,3 cêntimos no gasóleo (ver quadro).

Quanto ao site (www.precoscombustiveis.dgge.pt), como as grandes petrolíferas apresentam preços muito semelhantes entre si, a única grande vantagem é a identificação dos postos com campanhas promocionais.

Ou seja, fazendo uma pesquisa pelos concelhos onde se circula (Lisboa e Amadora ou Porto e Gaia, por exemplo, o site ordena-os pelos preços mais baratos, identificando assim os postos com promoções.

Andar mais devagar

Para Manuel João Ramos, presidente da Associação dos Cidadãos Auto-Mobilizados, as referidas medidas governamentais «são pouco efectivas» e mais valeria seguir o exemplo da Catalunha: reduzir os limites de velocidade nas auto-estradas.

Recordando que, em média, o consumo de combustível a partir dos 110km dispara dos 7 litros/100km para os 9, 10 ou 11, o presidente da ACA-M defende ao Destak que esta solução seria não só mais segura como mais amiga da carteira.

Aliás, é nesse sentido que aconselha o ecodriving, estilo de condução que reduz a emissão de gases poluentes, baixa o risco de acidentes e também diminui o consumo de combustíveis em 5 a 10%.

------------------------------------------------------

As cinco regras de ouro do ecodriving

1 - Passar para uma mudança mais alta Deve-se fazê-lo o mais rápido possível, de preferência entre as 2000 e as 3000 rotações por minuto (RPM)

2 - Manter a velocidade estável Deve-se seguir sempre na mudança mais alta possível e com baixas RPM

3 - Antecipar vias congestionadas Deve-se prever o estado do tráfego e optar pelas estradas mais desimpedidas

4 - Desacelerar suavemente Deve-se tirar o pé do acelerador com tempo quer seja para abrandar ou para parar a marcha, sempre com o carro engatado

5 - Verificar a pressão dos pneus frequentemente A pressão do pneu demasiado baixa em 25% aumenta a resistência ao deslize do carro em 10%, o que provoca um consumo acrescido de combustível em 2%"

Empresa é condenada por participar do cartel do combustível

Até no Mato Grosso (Brasil) são apanhadas as Petrolíferas que formam cartel fixando preços altíssimos e que assim assaltam os consumidores.

Em Portugal, em pleno suposto primeiro mundo, em plena Europa, por mais gritantes que sejam as provas os reguladores e a justiça continuam a afirmar que não existem!! O mais cego é sempre aquele que não quer ver, ou que é pago para não querer ver, embora seja essa a sua função!

"A empresa Comercial de Combustíveis Progresso Ltda. foi condenada a pagar 30% do valor do faturamento bruto do último exercício, corrigidos monetariamente a partir do evento danoso, e ainda ao ressarcimento do valor excedente à margem de lucro bruta de 20% na revenda de álcool, corrigidos monetariamente. A empresa também deve arcar com a veiculação da decisão nos jornais de grande circulação por um período de dois dias, durante três semanas consecutivas. No caso de descumprimento de qualquer dos itens, se submeterá a multa diária de R$ 1 mil. A decisão unânime foi da Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que acatou a Apelação no 118129/2008, interposta pelo Ministério Público, por entender que a prática de fixação abusiva e cartelização no preço de venda de produtos infringe a ordem econômica e de defesa ao consumidor, devendo o praticando ser condenado à indenização em favor dos interesses difusos e coletivos dos consumidores."

Retirado Daqui.

sábado, 11 de julho de 2009

Se a campanha de verdade do PSD fosse realmente verdadeira e honesta os cartazes seriam assim:


Criado a partir daqui: http://manuela.scheeko.org/
(só é pena não dar para por acentos, "ç" e pontuação)

Foi há um ano atrás que o petróleo fechou no seu máximo histórico: 147,02 $!

Foi há um ano atrás que o petróleo fechou no seu máximo histórico: 147,02 $!

Passado um ano, hoje o preço do crude esta nos 59,66 $, é menos de metade do preço, quase um terço do quase do que custava há um ano.

Em Portugal há um ano a Gasolina Sem Chumbo 95 chegou a custar 1,50 €, e está hoje a custar 1,30 €! (não me enganei: UM EURO E TRINTA CÊNTIMOS!).

São apenas 20 cêntimos de diferença, quando deveria custar, se os preços em Portugal seguissem como as petrolíferas o afirmam, as variações do preço nos mercados internacionais, a gasolina deveria custar pouco mais de 0,60€ por litro.

É, sempre foi, e continua a ser um escândalo o que se passa no mercado energético e dos combustíveis em Portugal. No ano do choque e da crise petrolífera a Galp obteve o maior lucro da sua história. Com esta diferença de preços que hoje se verifica, o lucro deste ano promete ser ainda maior. E somos todos nós que o pagamos! É dinheiro que sai do nosso suor de todos os dias, do nosso bolso, para ir directamente o bolso daqueles que estão o dia todo sentados em gabinetes sem nada fazer a não ser brincar à especulação.

Nenhum deste dinheiro que é nosso é aplicado como devia em sustentabilidade, aplicado em energias renováveis e alternativas aos combustíveis fósseis, nenhum deste dinheiro que é nosso é investido em transportes públicos de qualidade e alternativas ao transporte individual.

É a custa destes assaltos constantes e diários que Galp e a EDP aparecem na lista das 500+ da Forbes… A roubar assim também eu teria um lugar destacado nos 500+, mas depois ia preso como manda a lei!

Acabem com o Gamanço! Prendam os Gatunos!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Dia surreal no mercado dos combustíveis.

No dia de ontem, a Galp baixou a gasolina 2 cêntimos (para 1,299€), e o petróleo fechou em queda pela 7ª sessão consecutiva… fixando-se agora nos 60,58 $.


Vamos passar a escrever cartas abertas todos os dias…


(Entretanto já hoje, dia 9 à meia-noite o gasóleo também baixou um cêntimo.)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Carta Aberta aos Órgãos de Comunicação Social Portugueses e seus responsáveis

Caros Senhores

Como Cidadão Português, que se considera consciente, informado (e consumidor de informação), que muito presa o exercício da cidadania e o dever de promover a verdade, venho por este meio expressar a minha completa revolta face a uma situação ocorrida hoje, dia 7 de Julho de 2009, nos órgãos de comunicação social portugueses através da divulgação massiva de uma noticia falsa. Venho também por isso colocar uma serie de questões a quem considero ter o dever de me dar respostas.


A situação a que me refiro tem a ver com a dualidade de critérios que é feita pela maioria dos órgãos de comunicação social no que respeita à divulgação de notícias sobre o mercado dos combustíveis petrolíferos em Portugal. Estes órgãos de comunicação social a que me refiro protegem as empresas petrolíferas, nomeadamente a Galp, líder de mercado em Portugal, e prejudicam fortemente o cidadão e consumidor português.

Primeiro vamos a um facto concreto que para muitos deve ser novidade. A Galp aumentou hoje o preço dos combustíveis.

Tendo como referência os preços praticados na bomba da Galp da Ajuda em Lisboa, que tem reflectido de imediato a variação de preços a quando dos anúncios de subidas e descidas anunciados publicamente pela Galp Energia, e que pratica os preços mais altos dos postos da Galp Concelho de Lisboa (que foram e podem ser consultados em: http://www.precoscombustiveis.dgge.pt), verificamos que: HOJE, dia 7 de Julho de 2009, à meia-noite a Galp aumentou o preço por litro da Gasolina Sem Chumbo 95, UM Cêntimo, passando o preço para 1.324 €.

Que tenha conhecimento, e procurei em todos para os quais envio este e-mail, até este momento, Nenhum órgão de comunicação social deste país divulgou este aumento.

Apesar disto todos divulgaram massivamente as declarações feitas pelo Presidente Executivo da Galp Energia à margem da conferência anual do MIT.

Na notícia hoje divulgada Ferreira de Oliveira, afirma que “o que vemos no curto prazo é uma queda acentuada nas gasolinas e nos gasóleos. Estamos a ver isso no mercado (internacional) e que naturalmente serão repercutidos ao consumidor final”. Como se Comprova pela leitura dos parágrafos acima escritos esta declaração é objectivamente UMA MENTIRA! Considero ainda completamente imoral e inaceitável que alguém com as responsabilidades de Ferreira de Oliveira tenha a falta de carácter e de vergonha para declarar a descida dos preços no mesmo dia em que estes SOBEM!

Mais inacreditável ainda é que nenhum jornalista feito notar esta contradição, quer logo no momento em que as declarações foram feitas, quer quando a notícia é difundida!

Ferreira de Oliveira afirma ainda que “Portugal tem um regime de preços desfasado uma semana que está desfasado em uma semana do preço europeu”, afirmação que é também completamente falsa.

O petróleo voltou hoje a cair nos mercados internacionais. Cai à 6 sessões consecutivas. O Crude fechou hoje com o preço de 62,93$ por barril. O preço não estava assim tão baixo desde o final do mês de Maio. Neste período a Galp baixou o preço da Gasolina Sem Chumbo 95 em 3,5 cêntimos e aumentou a mesma em 6,5 cêntimos. Nos mercados internacionais do preço do crude andou no princípio de Junho nos 73 Dólares por Barril tendo o preço caído entretanto mais de 10 dólares.

Se provas faltavam elas aqui estão.

Pergunto me agora “Como é que esta notícia pode ser transmitida sem o mínimo de sentido crítico, que detectasse as mentiras que nela estão presentes?”

Não se trata usar o sentido critico de fazendo opinião, trata-se de transmitir informações objectivas e verdadeiras, que são por isso mais imparciais do que aquelas que foram efectivamente transmitidas.

Ferreira de Oliveira e por seu intermédio a Galp, teve direito a publicidade enganosa e gratuita, em órgãos de comunicação social quer públicos quer privados.

Quem se responsabiliza pelos largos milhares de euros, roubados directamente ao bolso dos consumidores portugueses, que a galp ganhou hoje e vem ganhando sempre à custa deste tipo de campanhas e notícias tendenciosas e falsas?

Como é que todas as semanas se continuam a repetir situações idênticas a esta sem nada mudar?

Vivo num estado de direito onde informar é um serviço público. Como tal a informação prestada deve informar, esclarecer e alertar o cidadão comum, defendendo-os de campanhas mentirosas, e condenando aberta e veementemente quem as transmite.

Não foi isso que hoje aconteceu e gostava que alguém assumisse a sua responsabilidade.

Perante tudo isto, o que fazer com a informação verdadeira de que hoje facilmente dispomos, principalmente através de sites e blogs de informação especifica sobre este assunto?

O que fazer com a informação mentirosa que é diariamente transmitida pelos meios de comunicação “tradicionais” ou “oficiais”?

São duas perguntas que junto ao que acima escrevi com a esperança não só de obter uma resposta, mas também e principalmente, para de que algo mude. Para melhor e para o bem de todos claro está.

Caso isso não aconteça, espero pelo menos que sirva para a reflexão dos visados, para usem o que aqui vem escrito para uma reflexão em consciência, sobre o trabalho que fazem e a informação que prestam. Não é pedir demais e sairíamos todos a ganhar com isso.

Atentamente,

Francisco Costa

Cidadão Português, Consumidor de Informação e de Produtos Petrolíferos

Administrador do Blog “Acabem com o Gamanço!”

www.gamanco.blogspot.com

terça-feira, 7 de julho de 2009

É preciso ter Lata: No mesmo dia em que a Galp AUMENTA os preços, o seu presidente prevê uma possível queda dos mesmos!



Como se percebe pela leitura do post abaixo, estas declarações são na sua totalidade COMPLETAMENTE MENTIROSAS! Nem a gasolina, está mais barata nem “Portugal tem um regime de preços desfasado uma semana que está desfasado em uma semana do preço europeu”, os preços em Portugal sobem sempre e tanto quanto a inesgotável ganância destes senhores o permite!

Galp voltou hoje ás subidas; Petróleo atinge mínimo das últimas 5 semanas!

A Galp voltou hoje a subir o preço da gasolina, quando nos mercados internacionais o petróleo mantém a forte queda, tendo atingido hoje o preço mais baixo das últimas 5 semanas!


Depois de duas baixas na semana passada de 2,5 e apenas 1 cêntimo, a gasolina subiu hoje mais um cêntimo voltando agora a custar 1.324 €.

Além das descidas terem sido muito menos do que aquilo que as baixas no mercado internacional indicavam, a galp contraria mesmo estas descidas aumentando o preço!


Se provas faltavam, elas aqui estão! A Galp não segue nada nem ninguém a não ser a ganância dos seus administradores e accionistas! É preciso por termo de uma vez por todas a esta situação!


ACORDA MANUEL SEBASTIÃO! ACABA COM O GAMANÇO!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Protesto volta a sair à Rua!

Depois da sua primeira edição, e da posterior censura, volta a estar patente o protesto contra o roubo a que somos sujeitos sempre que nos dirigimos a um posto de combustível.

Mesmo à saída da Bomba da Galp da Ajuda, em Lisboa, os consumidores são alertados para o que lhes acabou de suceder. Um roubo descarado!


Estará brevemente no muro em frente a um posto de combustível perto de si.


(São bem-vindas sugestões de localizações para novos murais de protesto, podem ser enviadas para o endereço de email deste blog: acabemcomogamanco@gmail.com)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Claro Como a Água: Estamos TODOS a ser ROUBADOS!



A reportagem é bem clara. Já ninguém tem dúvidas que as petrolíferas estão a extorquir o país. Nem sequer o presidente da associação das petrolíferas tem coragem de o negar. Os preços estão muito acima daquilo que é justo porque as petrolíferas fazem o que querem num mercado que é tudo menos concorrencial. Quando é que Manuel Sebastião acorda?! Quando é que a Autoridade da Concorrência toma as medidas devidas para acabar de uma vez por todas com este assalto?!


Acabem com o GAMANÇO!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Autoridade da Concorrência passa a divulgar estatísticas mensais sobre preços dos combustíveis

"A partir de Setembro, a Autoridade da Concorrência vai publicar estatísticas mensais para acompanhar e divulgar publicamente o sobe e desce dos preços dos combustíveis. O presidente da Autoridade da Concorrência, Manuel Sebastião, esteve na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, na Assembleia da República, numa audição anual, tendo dito, uma vez mais, que os preços dos combustíveis acompanham o mercado internacional. Pormenores escutados pela jornalista Natércia Simões."






Não consigo de maneira nenhuma conter a minha irritação depois de ouvir estas declarações!

Só consigo encontrar uma palavra que descreve na perfeição o presidente da autoridade da concorrência, e peço desde já desculpa pelo descontrolo de linguagem mas...

Este gajo É UM PANHONHAS! Fala como um panhonhas, num tom de voz de panhonhas, com expressões e hesitações de panhonhas, toma decisões como um panhonhas, tendo a faca e o queijo na mão recusa-se a actuar como só um verdadeiro panhonhas conseguiria! Até o aspecto físico é dum panhonhas! Ainda por cima age como um boneco que é literalmente manipulado pelas petrolíferas. Com gente desta no comando, nada neste país vai mudar.

Petrolíferas conseguem aumentar, em seu proveito, a diferença dos preços entre Portugal e a U.E.

Mais um interessante estudo por Eugénio Rosa que pode e deve ser lido na integra aqui.

"PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS EM PORTUGAL SUPERIORES AOS DA U.E. E, EM 2009, A DIFERENÇA PERCENTUAL AUMENTOU 88% NA GASOLINA95 E 28% NO GASÓLEO DETERMINANDO LUCRO EXTRA DE 210 MILHÕES €

RESUMO DESTE ESTUDO

Está-se a verificar em Portugal de novo uma escalada dos preços dos combustíveis. A justificação dada pelas petrolíferas, como é habitual, é o aumento do preço do barril do petróleo no mercado internacional. Mas se desagregarmos os aumentos concluímos que essa escalada está a ser determinada muito pela subida dos preços que revertem integralmente para as empresas, ou seja, dos preços sem impostos, que tem sido muito superior aos aumentos médios registados na U.E.

Segundo a Direcção Geral de Energia do Ministério da Economia, em apenas 4 meses (Dez2008-Abril2009) as petrolíferas conseguiram aumentar, em seu proveito, em 88% a diferença percentual que separava o preço sem impostos da gasolina 95 em Portugal do preço médio da U.E.. Assim em Dezembro de 2008, o preço da gasolina 95 sem impostos em Portugal era superior ao preço médio da U.E. em 3,4% mas, em Abril de 2009, essa diferença já tinha aumentado para 6,4% (Quadro I).Em relação ao preço do gasóleo, também em apenas 4 meses, as petrolíferas conseguiram aumentar, em seu proveito, em 28% a diferença entre o preço sem impostos em Portugal e o preço médio da União Europeia. Em Dezembro de 2008, o preço do gasóleo sem impostos em Portugal era superior ao preço médio da U.E. em 5,7% mas, em Abril de 2009, essa diferença já tinha aumentado para 7,3%.(Quadro II)

Pelo contrário, se compararmos os preços de venda ao publico dos combustíveis, ou seja, os preços com impostos em Portugal e os preços médios da União Europeia, concluímos que a diferença percentual, contrariamente ao que sucedeu com os preços sem impostos, até diminuiu durante o mesmo período. Em Dezembro de 2008, o preço de venda ao publico da gasolina 95 em Portugal era superior ao preço médio da União Europeia em 15,8% e, em Abril de 2009, em 15,4% (Quadro I). Em relação ao preço do gasóleo, durante o mesmo período, a diferença ( o preço em Portugal ser superior ao da União Europeia ) diminuiu de 5,1% para 4,3%.

Portanto, a subida dos preços dos combustíveis está a ser determinada muito pelo aumento dos preços sem impostos, ou seja, dos que revertem integralmente para as empresas (Quadros I e II).

De acordo com as "Estatísticas Rápidas – Março de 2009, pág. 14, da Direcção Geral da Energia do Ministério da Economia, entre a 1ª semana e a 9ª semana de 2009, o preço sem impostos da gasolina95 em Portugal aumentou 21,8%, enquanto o preço do barril de petróleo subiu 8%

Resumindo, os dados da Direcção Geral de Energia do Ministério da Economia revelam que, em 2009, o aumento dos preços sem impostos dos combustíveis em Portugal tem sido muito superior à subida verificada na maioria dos países da U.E. e, em particular, à subida registada nos preços médios da União Europeia (Gráfico 1), o que prova que a escalada dos preços dos combustíveis no nosso País não pode ser explicada apenas pelo aumento do preço do barril do petróleo no mercado internacional como pretendem fazer crer as petrolíferas. Esta escalada de preços que se está a verificar neste momento em Portugal tem também como causa a ausência de qualquer controlo dos preços dos combustíveis por parte quer da Autoridade da Concorrência (o seu último relatório sobre o mercado dos combustíveis1 mostrou que esta chamada entidade de supervisão não está disposta a actuar, servindo apenas para justificar a actuação das petrolíferas, o que prova a sua total submissão aos interesses destas grandes empresas) quer do próprio governo que nada faz para defender os interesses dos consumidores, por um lado; e, por outro lado, essa escalada de preços resulta do aproveitamento, por parte das petrolíferas, dessa situação de total descontrolo para subir os preços muito mais em Portugal do que na U.E. multiplicando os lucros.

O facto dos preços sem impostos dos combustíveis em Portugal serem superiores aos preços médios da União Europeia determina um custo extra para os consumidores portugueses, e um lucro extraordinário para as petrolíferas. Essa diferença (preços sem impostos em Portugal serem superiores ao preços médios da U.E.), na dimensão referida, deverá custar este ano aos consumidores portugueses mais 210,7 milhões de euros, o que significará um lucro extraordinário de igual montante para as empresas. E a situação actual deverá ser já mais gravosa para os consumidores portugueses de que a revelada pelos dados anteriores da Direcção Geral da Energia, pois a escalada dos preços a nível do consumidor continuou depois de Abril de 2009. Entre Abril de 2009, último mês em que aquela Direcção disponibilizou dados, e Junho de 2009,o preço de venda ao público da gasolina 95 subiu de 1,192€/litro para 1,343€/litro (+12,7%) e do gasóleo aumentou de 0,971 €/litro para 1,06€/litro (+9,2%).