quarta-feira, 30 de setembro de 2009

AIE recomenda Espanha a subir impostos sobre combustíveis

Do Jornal de Negócios, por Sara Antunes

Cheira claramente a máfia das petrolíferas a pressionar Espanha para poderem subir mais os preços em toda a Europa.

"A Agência Internacional de Energia (AIE) recomendou a Espanha aumentar os impostos sobre os produtos petrolíferos, uma vez que os preços naquele país são inferiores às médias internacionais e esse factor acaba por incitar ao consumo de combustíveis. A AIE recomenda que os impostos passem a ser representar mais de metade do preço final.

A AIE recomenda que os impostos sobre o gasóleo passem a representar 50,43% do preço final deste combustível e 55,5% no caso da gasolina. Actualmente os impostos sobre o gasóleo correspondem a 50,15% no gasóleo e 55,27% na gasolina, segundo os valores praticados na semana passada (divulgados pela Comissão Europeia).

A AIE publicou ontem um documento onde analisa o mercado espanhol. A agência aplaude a aposta nas energias renováveis e no gás, de acordo com o “El País”, questiona o fecho das centrais eléctricas e elogia a liberalização eléctrica.

São alguns os portugueses que preferem ir atestar o depósito dos seus veículos a Espanha, uma vez que o preço final é inferior no país vizinho. Na semana passada, os preços médios da gasolina praticados em Portugal estavam 20,4% acima dos valores espanhóis e 8,3% no caso do gasóleo.

Se forem considerados os valores sem impostos, a diferença de preços diminui. O gasóleo estava 2,98% mais caro em Portugal do que em Espanha, e a gasolina 0,48%.

Comparando a média da União Europeia a 27, o litro de gasolina na região é 13,6% mais caro, e o gasóleo 9,41%, considerando o preço final destes combustíveis. O valor do gasóleo sem impostos é 4% mais barato na UE e a gasolina custa menos 6% na região do que em Espanha."

Preços com impostos

Espanha

Portugal

UE

Gasolina

1,052

1,267

1,195

Gasóleo

0,936

1,014

1,025

Valores médios referentes à semana de 21 de Setembro

Preços sem impostos

Espanha

Portugal

UE

Gasolina

0,471

0,473

0,442

Gasóleo

0,467

0,481

0,447

Valores médios referentes à semana de 21 de Setembro

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

No Domingo Vamos Votar CONTRA O BLOCO CENTRAL (Em Todos menos no PS E PSD)



Para as eleições legislativas de Domingo este blog faz uma intenção de voto: Não votar no Bloco Central (PS e PSD).

Há trinta anos que este país é governado pelas mesmas pessoas. De quatro em quatro ou oito anos, põem ou tiram um “D” na sigla, mas a corja que nos governa vem toda do mesmo tacho, partilha toda os mesmos sórdidos interesses.

30 anos de governação do Bloco Central levaram à grave crise institucional que hoje vivemos.

A Educação, onde todos os problemas começam e onde todos sem excepção se podem resolver, continua a falhar clamorosamente, depois de sucessivas reformas ineficazes que só vieram agravar a qualidade do ensino, que falha em educar e motivar os alunos a explorarem todas as suas capacidades e potencialidades.

A Saúde, cada vez mais privatizada, beneficia e dá prioridade a quem tem mais dinheiro e mais possibilidades.

O Direito à Habitação foi subjugado aos ignóbeis interesses do mercado imobiliário que chutou as classes média e baixa para as periferias das cidades onde as casas são más, mal construídas, e onde os espaços urbanos de péssima qualidade trazem assim um sem número de problemas que vêm afectar gravemente a qualidade de vida das populações que aí residem.

O trabalho, cada vez mais precário e incerto, tornou as pessoas inseguras quanto ao seu futuro, e este medo de um futuro incerto permite que as grandes empresas e patrões usem e abusem destes trabalhadores cortando-lhes os direitos e a esperança de um futuro melhor.

A Justiça é a maior palhaçada a que este país já assistiu. Não funciona, nem quer vir a funcionar. Depois de sucessivos casos e operações desde os BPN’s BCP’s e BPP’s, aos apitos dourados, passando pelos Isaltnos e Fatimas Felgueiras, que não deram em nada e deixaram criminosos em liberdade a rir, já ninguém de bem e de bom senso consegue acreditar na justiça portuguesa.

Na economia, a posição accionista do Estado nas grandes empresas portuguesas não serve para regular as politicas destas empresas como devia, não serve para travar o assalto a que todos os dias os portugueses são submetidos! Serve sim para legitimar o roubo (equilibrando o orçamento de estado através da pesada carga fiscal tornando o Estado conivente no assalto) e pior que isso, serve para atribuir tachos dourados a ex-dirigentes partidários que não conseguem continuar a singrar na carreira através da trafulhice politica do costume. Diversificam a corrupção também no sector privado ou pubico-privado neste caso!

Como vimos agora no último mês com a baixa inusitada do preço dos combustíveis petrolíferos, o controlo que o estado tem especificamente nas petrolíferas só serve para manipular o eleitorado em tempo de eleições, para garantir lucros a privados e para nomear membros dos dois partidos do Bloco Central para cargos de administração com ordenados escabrosos feitos a custa do roubo diário dos portugueses!

Dois ex-administradores da Galp e membros destes dois partidos (Deus Pinheiro, cabeça de lista do PSD por Braga e o Ex-ministro Pina Moura) estão de volta ao activo e vieram já pedir a formalização oficial de um novo Bloco Central. Isto significaria apenas o Dobro dos Tachos para o Dobro dos Tachistas. Nada mais mudaria.

É por estas e por outras que é necessário e urgente combater esta escumalha e quem lhes oferece estes tachos. 30 anos de PS e PSD deram nisto.

Como resultado directo das políticas apresentadas por sucessivos governos PS e PSD, a desigualdade entre os mais ricos e os mais pobres aumentou exponencialmente nos últimos anos. Hoje somos um país menos igual e menos justo do que há 30 anos.

Infelizmente sou demasiado novo, e não tive a felicidade de viver o 25 de Abril de 1974. Mas contam-me os meus pais e aqueles que me são mais próximos que depois de uma vida inteira de opressão e miséria (política, intelectual e social), as pessoas começaram finalmente a ter esperança num futuro melhor,começaram a acreditar que era possível ter uma vida melhor, as pessoas começaram a tomar conta dos seus sonhos, da sua vida.

Hoje com a desigualdade e a injustiça reinantes as pessoas perderam a esperança num futuro melhor e têm medo de lutar por ele outra vez.

Hoje, como em 1974, são necessárias novas soluções políticas e novas pessoas.

Se os próprios partidos políticos com possibilidade governativa não se sabem regenerar e responder ás novas necessidades do País teremos de ser nós eleitores a mostrar-lhes que essa necessidade existe e que tem de ser urgentemente respondida. Votemos em alternativas.

A democracia permite-nos escolher através do voto, façamos então a escolha certa. Há que votar diferente para obter uma governação diferente.

Os partidos políticos não são nem devem ser lidos como clubes de futebol. O Facto de eu votar uma vez no partido X não faz de mim um adepto do partido X e não tenho de votar nele em todas as eleições.

A política são ideias e são pessoas. Ou acreditamos nas pessoas e nas suas ideias para o país e votamos nelas ou não acreditamos e não votamos nelas.

As ideias, as pessoas e as soluções que o PS e o PSD têm para o país já nós conhecemos e 30 anos de governação são a maior prova possível de que não servem para resolver os problemas de Portugal.

PS e PSD Não são parte da solução e agravam os problemas do País.

Façam um favor a vocês próprios, aproveitem as poucas oportunidades que têm para ser ouvidos. No domingo vão votar, e por favor, não metam a cruz em nenhum dos 2 espaços reservados para o Bloco Central.









Uma palavra apenas para o CDS-PP. O Voto neste partido já comprovou, pela experiencia governativa que teve, que não é uma alternativa válida ao bloco central. Em quanto governo multiplicaram-se os escândalos: foi o caso Portucale (com as máfias dos dinheiros do BES a financiar o CDS através desse valente mafioso que é Abel Pinheiro), foram os submarinos de portas que para nada servem e vão agravar ainda mais o défice do país, ou ainda o caso de Celeste Cardona, que como boa tachista que é, foi a pior ministra da justiça que este país já conheceu e saiu directamente do Governo PSD-CDS de Durão Barroso para um tacho dourado na administração da Caixa Geral de Depósitos!
Paulo Portas representa o pior que existe na Politica Portuguesa. Todo ele é hipocrisia! Votar CDS-PP nestas eleições, tal como votar no PS ou no PSD, também não resolve nenhum problema, Agrava-o!




quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Balsemão questiona Fernando Gomes (Administrador da GALP) sobre aliança entre PS e Bloco

E o que é que o Tachista Mor responde? Obviamente que não! Essa seria a maior ameaça possível ao seu tacho dourado que Fernando Gomes tanta trafulhice política teve de fazer para o conseguir! Nunca na vida.

E se Balsemão tivesse questionado se a aliança fosse do PS com o PSD? Aposto tudo o que quiserem como o Fernando Gomes viria apoiar sem qualquer oposição a ideia do Bloco Central, como alias já o fez outro valente tachista, o seu amigo e camarada de partido e de escumalha que administrou a Galp, o Ex-ministro Pina Moura.

É por estas e por outras que é necessário e urgente combater esta escumalha e quem lhes oferece estes tachos. 30 anos de PS e PSD deram nisto. São necessárias novas soluções politicas e novas pessoas.

É por isso que no domingo é necessário o voto útil CONTRA O BLOCO CENTRAL! (Votar em todos menos PS e PSD!)



Do Site do Diário Económico, por Maria Ana Barroso

"Francisco Pinto Balsemão questionou hoje directamente Fernando Gomes, administrador da Galp, durante uma conferência, sobre uma possível coligação entre PS e Bloco de Esquerda após as eleições.

A pergunta é relevante por dois motivos. Primeiro porque Fernando Gomes é um antigo dirigente socialista e depois porque uma das principais bandeiras eleitorais do Bloco é a nacionalização da Galp e da EDP.

Foi então em plena Conferência da Revista de Exame que Balsemão, sentado na primeira fila, perguntou a Fernando Gomes, que discursou no evento em substituição do presidente da Galp, sobre o que pensa quanto a esse cenário político.

"Não há condições políticas para que isso [coligação] venha a acontecer", declarou Fernando Gomes.

Para o gestor, nacionalizar a Galp, como pretende o Bloco de Esquerda, "seria pré-histórico".

Na mesma ocasião, Fernando Gomes também disse nunca ter percebido a razão pela qual Francisco Louçã "faz diferença entre Amorim/Sonangol e a ENI, que também é privada".



Do site do Expresso

"O administrador-executivo da Galp Fernando Gomes disse hoje que a nacionalização da petrolífera, defendida pelo Bloco de Esquerda (BE), é uma proposta "pré-histórica".

"Acho pré-histórico que o líder do Bloco de Esquerda", Francisco Louçã, defenda a nacionalização da Galp e da EDP, "empresas que são estratégicas para o país" (e isso é razão para serem privadas e estarem na mão de estrangeiros???? Usar o argumento do adversário para defender as nossas ideias não me parece de todo uma boa táctica, antes um tiro no pé! Este gajo além de tachista é burro.), afirmou o administrador-executivo da Galp, durante a conferência "Portugal em Exame", que decorreu hoje em Lisboa.

Fernando Gomes disse ainda que "sempre que o Estado interveio na Galp ou nas empresas públicas o sucesso foi muito reduzido"."

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Louçã desmonta a «tramóia» de Sócrates na Galp

Do Site IOL Diário, por Catarina Pereira

"Francisco Louçã respondeu à entrevista de José Sócrates, este domingo, no DN, na qual o primeiro-ministro afirma: «Aquilo que diz Louçã é absolutamente ridículo e não tem razão quando afirma que vendi a Galp ao Amorim quando este Governo se limitou a agir de forma patriótica e impedir que a empresa passasse - como estava tudo preparado - para mãos italianas.»

«É uma crítica violenta, mas acrescenta o que nunca tinha dito. Anda a pairar na sociedade portuguesa o mistério da rua de São Bento. José Sócrates é manhoso nas palavras. Diz que não vendeu a Américo Amorim. Pois não. Também vendeu a José Eduardo dos Santos», disse, num almoço/comício em Riachos.

O coordenador nacional do BE lembrou que 1/3 da Galp foi vendida por 1.700 milhões de euros, «quando todos os bancos consultados sobre o valor da empresa disseram que esta valia mais mil milhões de euros». «Logo na venda, o Estado perdeu e os portugueses perderam», frisou.

Assim, Louçã decidiu explicar aquilo que considera uma «tramóia»: «Os italianos, ou seja, a ENI, têm 1/3 da Galp, porque o Governo anterior, com Pina Moura, aceitou vendê-la. O Governo vendeu aos italianos e o Governo seguinte vendeu a Américo Amorim e a José Eduardo dos Santos para evitar que os italianos comprassem tudo.»

Ou seja, «José Sócrates é patriota contra si próprio, contra o seu próprio Governo». «Estava tudo preparado», concordou Louçã."

Recortes da Blogosfera: "Tarefa para um governo de esquerda: controlo público de sectores estratégicos"

Vale a pena ler na integra as palavras de João Rodrigues no "Ladrões de Bicicletas", as quais subscrevo por completo e recomendo vivamente a devida leitura.

Transcrevo o início só para aliciar mais à leitura:

"Os lucros da EDP e da GALP, empresas em que o Estado deve ser accionista maioritário, servem hoje para remunerar accionistas privados e para pagar principescos bónus aos seus gestores. Os cidadãos pagam as facturas da energia, que são 25% mais caras do que as que vigoram na vizinha Espanha, e suportam as lucros abusivos da Galp no ajustamento dos preços do combustível, que se tornaram uma referência para o resto do mercado.

A recuperação do controlo público da Galp e da EDP é a única forma de manter em mãos nacionais o sector vital da energia e o meio mais eficaz de delinear uma política racional que reduza a dependência energética face ao exterior, acelere o aumento do peso das energias renováveis e garanta que a sua gestão é guiada por critérios mais amplos que a estreita criação de valor para o accionista. Privilegiar os accionistas dificulta aliás uma política industrial de reconversão do tecido empresarial e gera custos sociais que acabam por recair sobre a maioria dos cidadãos."

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Florestas Solares Para Estacionar o Carro

Se aliarmos isto às estradas feitas em painéis solares, não necessitaríamos de qualquer tipo de combustível para as nossas deslocações.





Via Não Está Facil

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Lista dos “Tachistas” da Galp Energia e Suas Biografias actualizada!

Foi hoje actualizada a já famosa Lista dos “Tachistas” da Galp Energia e Suas Biografias. Quase todos os seus integrantes passaram a ter fotografia a acompanhar a biografia, para que não restem duvidas sobre quem são e o que fizeram para chegar ao cargo que infelizmente ocupam ou ocuparam.

Em termos de conteúdo biográfico foi acrescentado, por exemplo, o facto de João de Deus Pinheiro ser o cabeça de Lista do PSD por Braga às próximas eleições legislativas. É o regresso do Tachistas num assalto aos tachos!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Acabem com o Gamanço Cria Causa no Facebook

Para alargar a luta contra a vergonha do mercado de combustíveis em Portugal foi criada uma “causa” no Facebook .

Assim pretendemos que mais gente torne público o seu descontentamento e a sua revolta contra o descalabro que atingiu o preço dos combustíveis!

Junta-te a nós!

Acabem com o Gamanço!

http://apps.facebook.com/causes/354488/61488986?m=cc366e79

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Com estradas assim aliadas a Carros eléctricos… poderemos anunciar o fim da Galp!



Do site do i, por Marco Dinis Santos, Publicado em 13 de Setembro de 2009

“Imagine uma estrada feita de painéis solares, que se adapta às condições do trânsito e onde as pinturas são substituídas por pequenas lâmpadas led, que têm a vantagem de manter a estrada iluminada durante a noite. O protótipo já existe e a empresa que o fabricou até recebeu financiamento público dos Estados Unidos.
O modelo de pavimento também pode ser aplicado a parques de estacionamento a céu aberto. A Solar Roadways, empresa que fabricou o protótipo, diz que o seu modelo de estrada permite ainda detectar a presença de animais na estrada e advertir atempadamente os condutores para que reduzam a velocidade. Outros sensores permitem à estrada derreter neve e gelo, para tornar a condução mais segura.
Outra das vantagens apontadas pela empresa é a possibilidade de os veículos eléctricos se auto-recarregarem à medida que viajam nestas estradas, reduzindo assim a necessidade de grandes baterias e permitindo uma autonomia muito maior destes carros.”

domingo, 13 de setembro de 2009

Preços dos Combustíveis não sobem há exactamente um mês e porquê? R: Há Eleições!

A galp voltou hoje à meia-noite a baixar pela 5ª vez, desde 13 de Agosto data da última subida, a baixar o preço da Gasolina e o gasóleo pela 3ª vez.

E porquê?

O petróleo caiu descontroladamente no último mês?!
Não, o petróleo está hoje pouco mais de um dólar mais barato que no mês passado e as oscilações não têm sido grandes. Além disso a Galp nunca viu nesta pequena diferença razões para baixar o preço, muitas vezes com esta baixa nos mercados internacionais a galp SUBIU os preços.

Em primeiro lugar a Galp desceu o preço dos combustíveis porque pode. Apesar de ter descido o preço 5 vezes no último mês as descidas nunca ultrapassam um cêntimo e o preço continua muito a cima daquilo que seria justo ao consumidor pagar (lembro que em Agosto a Galp subiu injustificadamente o preço 6 cêntimos em 7 dias!). Não nos deixemos enganar assim tão facilmente, continuamos a ser roubados todos os dias.

O que motiva então estas descidas? A resposta é simples: Eleições.

A última vez que o país ficou paralisado de norte a sul foi por causa dos preços dos combustíveis, estes têm sido uma das maiores fontes de protesto contra o poder corrupto instituído em Portugal. Têm também sido um dos grandes motes da campanha de esquerda (da qual se auto-exclui o PS por governar assumidamente à direita), para a qual não é bom perder votos, pois isso porá em risco os tachos dourados da cambada de tachistas que ocupa ou ocupou cargos de poder governativo em Portugal.

Baixar os preços sem razão económica perto das eleições é uma tentativa clara de fazer os portugueses se esquecerem na hora do voto do escândalo que esta instituído em Portugal.

Esta é uma prova que a política tem uma intervenção directa no que se passa no mercado dos combustíveis petrolíferos em Portugal. Nunca no interesse do País e dos Portugueses mas sempre no interesse entidades ou pessoas individuais com os mais ignóbeis e sórdidos interesses. O controlo que o estado tem nas petrolíferas só serve para manipular o eleitorado em tempo de eleições, para garantir lucros a privados e para nomear membros dos dois partidos do Bloco Central para cargos de administração com ordenados escabrosos feitos a custa do roubo diário dos portugueses!

Nós não nos esquecemos. Nós não paramos de Lutar. Nós tudo faremos para que ninguém se esqueça do descalabro que reina no mercado de combustíveis em Portugal.

Não ao Voto no Bloco Central! Não ao Voto nos “Tachistas”!




P.s.- Aposto que no dia seguinte às eleições os preços dos combustíveis sobem! Vamos esperar para ver...

Blog passa a ter publicidade

Este blog passa a partir de hoje a ter publicidade. Não porque alguém queira ganhar dinheiro com ele, mas para obter melhores meios para reforçar esta luta.
O que se quer com este blog é, como sempre foi o objectivo desde a sua criação, lutar por um mercado dos combustíveis petrolíferos com preços justos para o consumidor. Para isso acontecer de uma forma mais eficaz pensamos que é preciso alargar esta luta, com mais acções de protesto e mais meios para poder melhor informar sobre os escândalos que vão ocorrendo consecutivamente neste mercado em Portugal. Infelizmente vivemos numa sociedade de capitalismo selvagem e nada se faz hoje sem dinheiro. Todo e qualquer dinheiro obtido com a publicidade irá então ser aplicado em material de protesto para reforçar a luta.

Ainda assim esta decisão é apenas provisória, estando este modelo em período de experiência. Se os anúncios não se revelarem uma estratégia eficaz, e se estes atentarem de algum modo contra a integridade ética deste blog serão imediatamente removidos.

Ao contrário da Galp cujos únicos fins são lucrativos, desprezando por completo os seus clientes e o estado crítico em que se encontra a economia do país, este blog não tem quaisquer fins lucrativos. O único fim é acabar com esta vergonha.

Ajude-nos nesta luta. Todos juntos termos mais força.



P.s.- Se por algum acaso vir aqui um anúncio da Galp clique imediatamente nele. Já dizia o ditado “Ladrão que rouba a ladrão, tem cem anos de perdão”. Não fazemos parte desta corja de ladrões nem queremos ter nada a ver com eles, mas tirar-lhes dinheiro, significa repor de alguma forma o dinheiro que todos os dias a Galp rouba nos seus postos de abastecimento.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Qualquer semelhança entre a autoridade da concorrência em Portugal e em Espanha é pura coincidência.

Regulador espanhol de concorrência sugere remodelação de capital da participada da Galp


Do Site do Jornal de Negócios, por Ana Torres Pereira

“A Comisión Nacional de la Competencia (CNC), regulador espanhol da concorrência, emitiu um “duro” relatório sobre o mercado dos combustíveis em Espanha, chegando mesmo a sugerir a remodelação da estrutura de capital da CLH, uma empresa que detém e gere a maior parte do sistema de transporte e armazenagem de combustíveis, onde a Galp Energia detém 5%.

A CNC, no citado relatório, refere que encontrou falhas no mercado dos combustíveis que estão a limitar as vantagens decorrentes do mercado liberalizado, noticiou hoje o “Expansión”.

Há mais de um ano que a Concorrência está a analisar o funcionamento e a fixação dos preços dos combustíveis no mercado espanhol, principalmente a “escalada de preços registada no primeiro semestre de 2008”.

Num documento com mais de 100 páginas, a CNC refere que “existe um elevado grau de concentração que conjuntamente com as estratégias dos operadores, a existência de barreiras à entrada e a expansão dos mercados de distribuição conduzem a uma redução da pressão concorrencial entre as empresas participantes neste mercado”, acrescentou a mesma fonte.

Assim, a CNC recomenda uma revisão da estrutura do sector da gestão dos oleodutos, como nas estações de serviços. Desta forma, “para evitar possíveis restrições de concorrência na gestão da rede dos oleodutos por parte da CLH (Compañía Logística de Hidrocarburos) deverá haver uma reestruturação”.

E para uma maior transparência nos preços, a Concorrência recomenda que as empresas operadoras–como Repsol, a Cepsa, e a BP– “não entrem no capital da CLH nem intervenham na sua gestão”. Isto pressupõe, de acordo com a mesma fonte, a remodelação de mais de metade do capital da CLH, detida pela Repsol (15%), Cepsa (14,15%), Disa (10%), BP (5%) e Galp (5%).”

E cá? O Manel Sebastião passa uma multa irreal à pt e a zon que sabe logo à partida que vai ser facilmente revogada em tribunal. Quanto ao mercado petrolífero... só relatórios de 500 paginas que não dizem nada, porque por aí entram muitos tachos e muito dinheiro, nem vale a pena a chatice da multa que não serve para nada.

Portugal no top-10 com combustíveis mais caros da UE

Portugal no top-10 com combustíveis mais caros da UE
Revela boletim petrolífero da Comissão Europeia

Retirado do site Fabrica de Conteúdos.

“Os preços dos combustíveis praticados em Portugal colocam o país no top-10 dos valores mais caros entre os Estados-membros da União Europeia (UE).

De acordo com o boletim petrolífero da Comissão Europeia, o preço da gasolina vendida em Portugal é o quinto mais alto nos países da UE.

O preço da gasolina super-95 era de 1,311 euros por litro, no passado dia 31 de Agosto, valor que colocava Portugal nos primeiros lugares no ranking de países com combustível mais caro.

Nesta mesma altura, Portugal era apenas ultrapassado pelos valores praticados pela Holanda (1,393 euros), Finlândia (1,333 euros), Dinamarca (1,322 euros) e Bélgica (1,321 euros).

No que se refere ao gasóleo, Portugal ocupava a oitava posição com os preços mais caros. O combustível era vendido a 1,054 euros por litro.”

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Preços praticados pela GALP não são Iguais aos do site da DGGE!

Preços praticados pela GALP não são Iguais aos do site da DGGE!

Ao passar ontem de manhã na bomba da Galp da Ajuda, reparei que o preço do Gasóleo não tinha baixado como o site da Direcção Geral de Energia e Geologia anunciava desde a meia-noite! (de dia 1 de Setembro de 2009)


Como as imagens o comprovam claramente, a Galp está a enganar os clientes utilizando os mecanismos que o estado lhe oferece para melhor informar os consumidores!


Já tinha reparado nesta situação ontem mas resolvi esperar para ver se o erro no preço era corrigido. Não foi, Hoje os preços continuam iguais quer no site quer na bomba, e todo e qualquer consumidor que se dirija a esta bomba (e muito provavelmente a todas as outras da GALP) vai pagar mais do que o preço que esta petrolífera anuncia! Com os milhares de litros Gasóleo que a esta bomba vende todos os dias, com esta diferença de apenas 1 cêntimo por litro, são milhões de euros a mais que a empresa ganha em lucro, roubado directamente do bolso do consumidor mal informado!
Já não basta sermos roubados pela via da incompetência duma autoridade da concorrência inoperante, agora a Galp usa os meios disponibilizados pelo estado para enganar os consumidores!


Este é sem dúvida mais um a juntar aos muitos escândalos praticados por esta empresa! Alguém tem de conseguir deter a ganância desta gente! Chega da enganar e roubar as pessoas!


Acabem com o Gamanço!






(Ps. - mesmo com enganos, no jumbo a o Gasóleo está 11 Cêntimos mais barato!)